Sufro mais que Lispector

by - segunda-feira, fevereiro 28, 2011



Te contar que olha... Gente aqui acha que eu tenho mania de perseguição (Mar fofa, no tengo, esquizofrenia nem curto muito), que reclamo muito da vida que tenho (OI, fia? Desculpa se você tem muito dinheiro, mora com os pais, não anda de ônibus, que tem sombrinha(guarda-sol pra quem não pertence ao Acre) e que ainda conserva a vergonha e a dignidade na estante de casa.), mas gente, tem hora que se Deus existir realmente, foder minha vida já virou um desafio. E Ele consegue, porque sempre tem como piorar.

Imaginem só vocês, eu, uma criatura que já nasceu desfilando com saltos, que tem 2486232 desodorantes (Tudo isso por temer o CC), 2458354 condicionadores, que adora comer besteiras, o sofrimento que passo aqui na capital. Gente, o povo fede dentro do busão às 8:00 da madrugada! E as brecadas que o motorista dá? Como proceder com meus saltos alegóricos, dignos de travestis? Fora os trechos que ando nessas calçadas todas ladrilhadinhas de pedras nos rins. UÓ.

Então, minha irmã agora é chaique, mora em Manaus. Oká. Aí né, ela precisou levar o outro cartão. Quando chegou aqui, resolvi comprar algo para comer e olheám, o cartão não funcionava, nem o dela, nem o meu. Sara volta triste e esfomeada para casa. Sem um puto pra comprar bombom ou comer algo decente. No outro dia ela vai em um caixa eletrônico e a magia da vida acontece: Consegue sacar o dinheiro. Nega viaja. Adivinha quem fiquei com o cartão todo bichado? Não prestava nem pra passar no débito. A ponta dele está  quebrida, pero no hay problema. Porque o do meu namorado está na mesma situação e presta lindamente. WHY JAY C?? 

Eu detesto mais do que qualquer pessoa ficar impossibilitada de sacar tendo rios de dinheiros na conta-corrente. Ao extremo, sabem?  Sou aquela nuvem negra que quando resolve 'chover' só sai canivetes. Calmaê Sara. Cê ainda tem a carteira de identidade.  Meu namorado combinou comigo que cedo da manhã eu fosse para casa dele e daí iríamos a uma agência do bb pra sacar. Acordo, me arrumo e quando vou procurar a identidade ( Tá difícil achar sinônimo aqui, galery. A preguiça afeta  monstruosamente meu cérebro) na bolsa... KEDÊ A DANADA? SOMEU. Coloquei meu apartamento de pernas para o ar e nada. Falei com o boylove e talz. Muito chorona e descontente com essa minha vida.  Caralho, nada dava mais certo. Primeiro a descobertas sobre meu pai, depois cartão não presta, identidade some... AH SIM! O dono do apartamento tá pedindo ele de volta e olha só, o pessoal da casa que a mãe comprou ainda não saiu dela. APLAUSOS para essa capacidade de superar o que é ruim e deixar pior? Podche.

Aí a pessoa vem e me diz: "Pior do que tá, não fica, menina!" Amiga, següinte... Fica. Porque não basta você nascer com seios pequenos,  ser um panda, ter cabelos indecisos, dentes desalinhados e pernas finas... Sempre a vida te arranja um jeito de te foder mais ainda.


P.S: I love u Achei minha cédula de identificação.

You May Also Like

0 soltando o verbo

Soltem o verbo...