Doses de realidade

by - terça-feira, setembro 12, 2017

 

Aí eu tô andando toda bacanuda por uma estrada maravilhosa, com a melhor bolsa, melhor sapato e desfilando com o cabelo mais bonito. O céu tá azul, o tempo agradabilíssimo com uma brisa soprando entre os fios de proteínas negros que insistem em cair pelo meu rosto (sim, cabelo lisinho, bjs). Então meu salto quebra, meu cabelo cai e passa a fazer um calor infernal daqueles de levantar a saia para abanar a cara. É assim que é a vida, é assim que e resume minha vida.
  
  Vida financeira: belíssima. Vida social cas miga: ótima. Trabalho: gostosíssimo. Vida amorosa: fiasco. Tá xexelenta mesmo. E é aquela mesma vibe de saber o que tenho de tão errado. Tipo, meu último ex terminou comigo alegando que não estava pronto pra um relacionamento sério. Adivinha quem, depois de dois meses de término, está assumidíssimo, apaixonadíssimo e namorandinho com outra pessoa? Isso mesmo. Ele.

   Eu sei que não posso reclamar tanto de falta de amor porque, afinal, eu tenho uma perereca no banheiro do meu apartamento que me ama. Sabe, fico nuinha, ligo o chuveiro e Raimundinha (perereca) insiste em pular nos meus pés. Aconteceu umas 3 vezes. tenho baratas que não me deixam em paz mesmo depois de gastar quase todo o dinheiro da minha conta em veneno.

You May Also Like

0 soltando o verbo

Soltem o verbo...