Mais um para minha coleção

by - sexta-feira, janeiro 29, 2010

Daí que hoje foi um dia muito excitante. Sério mesmo. Comovente. Saio da auto escola em plena 11 da manhã. Um calor tão fodástico que fez minha maquiagem borrar e meu rosto ficar a cara de um panda. Peguei o primeiro ônibus tranquila. Parei no terminal e peguei o segundo.

Como todos sabem, nada que é bom dura tempo suficiente para mim, né? Fui em pé porque ninguém teve dó da adolescente cansada de carregar a bolsa enorme nos ombros. Tá. Até aí beleza. Daí que eu escuto isso:

-EEEEEEIII GORDIMM!!! EII, GORDÃO! SENTA AQUI!

Sabe, todo mundo olha pra trás instantâneamente. E não era para quem proferiu essas frases. Isto mesmo que vocês estão pensando. Para o coitado do Gordo. Nem preciso comentar que ele ficou idêntico ao porquinho da parmalat.... rosinha. Eu fingi não ter prestado atenção. Acho que vocês sabem como é gente maluca, não é? Só quer uma palhinha para tirar da cara de um. Só que não adianta eu fazer esforço para passar desapercebida. A minha beleza é tanta que a missão de ser discreta torna-se impossível. Isso faz com que eu me torne um imã gigante para verdadeiras esquisitisses que me acontecem diariamente.

O nível de sensualidade era digno da cueca do moço da foto. Lindis pra carambis. /chupa


E não é que a criatura bateu o olho logo em mim! Isto mesmo... em MEEEMM!!! E eu tive que aguentar tudo calada porque, né, não precisa ser psicóloga ou psiquiatra para saber que com doido não se discute. Então eu só escutava...:

'-Eu sei que cê mim deseja, moreiiinão! Eu vejo nos teus óios!'
'-Venha cá, moiirena... Xá eu dar uma cafungada no seu cangote!'


Mas o melhor foi depois. Nunca havia recebido uma declaração assim tão direta, tão linda e tão pública. Ele cantou para mim. Yess...meus olhos marejaram e fiquei mais impressionada que mesmo parecendo um panda de cabelos arrepiados, ele me quis. Sim... ainda existe amor verdadeiro:

"-Agora eu te conquisto, gata. Te dedico!"... " Que pescá qui nada, vô bejá na boca. Vê a mulherada de madrugada tiranu a roupa. Qui pescá qui nada, vô matá a fome... Lá vai tê séquissu pra cada homi."

E ele apontava para mim na parte do sexo. Digno. Quase um Wando do hospício. Jamais esquecerei aqueles olhinhos lânguidos de noite serena. E você, quanto tempo consegue aguentar uma situação dessas? Bom, aguentei por míseros 30 minutos. O importante é que cheguei a uma conclusão: Quem é feliz mesmo nesse mundo são os malucos belezas.

You May Also Like

0 soltando o verbo

Soltem o verbo...