Vertente: o da loucura sempre

by - quinta-feira, fevereiro 09, 2012

  O PRINCIPEO Príncipe- Maquiavel 

  Ontem, estava péssima (pero mejor que hoy), mas fui pra aula. Eis que no 3º e 4º tempo tinha Psicologia da Educação e eu, linda e maravilhosa, estava no dualismo de sempre: A mente na perda total com o corpo querendo chorar e eu tentava a todo custo fazer com que meus olhinhos de noite serena não ficassem com as beiras molhadas. Alma x corpo, 4ever.

  Resolvi tentar prestar atenção ao menos no início da aula. A professora passa uma frase para que o pessoal da sala pudesse destrinchá-la. Era mais ou menos uma coisa a ver com: A bondade deve vir junto com a firmeza. Os professores coerentes..BLÁ BLÁ BLÁ. Daí que a negrada toda faz uma análise básica de que os professores além de bondosos, devem ser firmes nas suas decisões para saberem conduzir uma aula.

  Minha mente me remeteu imediatamente à obra de Maquiavel: O Príncipe. Na parte em que é questionado: Um chefe de Estado deve ser temido ou amado para ser respeitado? Como o professor está sendo o chefe daquele departamento chamado sala de aula pois, ele que conduz e organiza o ambiente, ele deve ser os dois. No senso comum, bondade está ligada à permissividade, ou seja, o que está certo está certo e bom, o que está errado, deixa pra lá, não aconteceu nada. O que é possível observar nas mocinhas das novelas, as moscas mortas que deixam como está, sem atitudes para encarar o que não lhes agradam e como diz o ditado popular: Quem cala, consente. O ato de não se importar com algo que outrem fez e que me afetou de maneira negativa, é calar-se.

  Ser firme é o traço psicológico do antagonista, sempre. Promete vingar-se de quem interfere no seu caminho mesmo gostando da pessoa, mesmo que ela tenha o ajudado anteriormente. Mas tá lá, fazendo cumprir a promessa. E entra no ramo da autenticidade: Ser o que se é, sem se importar com o que outro pensa sobre as atitudes tomadas.

  Aí que entra Maquiavel: Temido, representado pela firmeza, ou Amado, retratada pela bondade. Da maneira que a frase foi colocada, “bondade acompanhada pela firmeza”, parece que esta não esta contida naquela. Ora, firmeza não seria um valor?? Parecem valores tão antagônicos, e na frase em especial, dão a impressão de formarem uma antítese, um distanciamento ou algo similar. Seria essa, uma análise sem pé e nem cabeça??

 

TO LOKA? Estou louca por não ter pensado de imediato em uma análise mais simples?????? O meu pensamento sobre isso vai mais além, mas não o terminarei porque é boring, porque acho que não é de interesse de vcs, enfim.

fumandomentalmente

You May Also Like

0 soltando o verbo

Soltem o verbo...