Save things, hunting peoples

by - quarta-feira, dezembro 28, 2011

  E eu querendo morrer aqui. Estou cansada. Aí nêgo diz: “Sara, tem ano novo vindo.” Amigo, tudo uma bosta só. Não sou aobrigada criar expectativa em viver em um mundo melhor, quiçá ter a esperança que minha vida irá melhorar. Que olha, eu sei que não vai. Ou piora tudo ou estagna tudo nessa péssima fase.

  A única coisa que posso fazer e faço nessa situação toda em que me encontro é chorar. E isso tenho feito religiosamente todos os dias antes de dormir. O que é uma delícia para acordar, né, só que não. “Sara, seja forte.” Nossa, véi, as únicas coisas que consigo ser é escrota e estúpida.

  Quantas vezes já me peguei discando o número do meu pai pedindo pra voltar a CZS porque não estou dando mais conta do que sinto????? Aí eu lembro que não faço questão de falar e muito menos conviver com ele.  Desmorono to-dos os dias. IMBECÍLICA. Olhar no espelho e ver que não tenho nada a oferecer, nem um cadim de beleza porque isso, meu amor, não me pertence mais.

  Realmente sinto falta de ter alguém para dividir tudo o que guardo de bom ( conhecimentos de animes, funk, samba, teorias sobre fatos, como limpar o guarda-roupas,etc). É ruim ver que por mais que eu faça as coisas, nunca me dou bem nesse aspecto. Detesto a solidão nesse âmbito.

  Estar sozinha é uma coisa que incômoda para mim. Hay que tener paciência, menina Sara. Un día tendras todo que merece or not.

You May Also Like

0 soltando o verbo

Soltem o verbo...